Google Vs Huawei

O desastre da Huawei revela o domínio da Google sobre o Android

O Android do Gogle é lançado como a alternativa aberta e gratuita para o iPhone. No entanto, para atender a um pedido recente do governo dos EUA , o Google retirou a licença da empresa chinesa de tecnologia e fabricante de smartphones Huawei para usar o software proprietário do Google, que fica no topo do Android. Ao fazê-lo, o Google expôs discretamente o poderoso controle que tem sobre seu ecossistema de telefone supostamente aberto.

A maioria dos fabricantes de Android, incluindo a Huawei, são conhecidos como parceiros de hardware do Google . Esse relacionamento permite que eles criem seus telefones em torno de uma coleção de produtos do Google, desde aplicativos como o Google Maps e o Gmail, até ferramentas complementares, como serviços de localização ou notificações por push. Enquanto o Google dá a impressão de que o Android está aberto e disponível para todos, esses serviços representam um controle silencioso que a empresa nem sempre aplica sobre seus parceiros de hardware – embora, como já foi comprovado, certamente possa.

Com o recente pedido, o governo dos EUA forçou a mão do Google. Onde o Departamento de Comércio dos EUA colocou a Huawei na “Lista de Entidades” que sofre sensações, o que a impede de comprar tecnologia de empresas americanas sem a aprovação do governo. A Huawei e o Google agora têm três meses para enviar atualizações que vão afetar os usuários existentes. Para novos telefones, a Huawei pode usar a versão de código aberto do Android, mas não pode ser um parceiro do Google.

A diferença entre usar o Android e ser um parceiro do Google parece confusa do lado de fora, mas “Android” refere-se tecnicamente ao sistema operacional básico que abrange itens básicos como fazer chamadas telefônicas ou usar a câmera. A versão gratuita do Android é chamada de Android Open Source Project (AOSP) e uma empresa não precisa ser um parceiro para usá-la.

A maioria dos fabricantes, como a Huawei, no entanto, prefere se tornar um parceiro do Google. Isso significa que a Huawei concorda em fazer apenas dispositivos que usem uma coleção de aplicativos do Google, conhecida como Google Mobile Services, que inclui itens como o Gmail, o YouTube e a Google Play Store. Sob este arranjo, a Huawei não pode, por exemplo, fabricar um telefone que acompanha o Bing e o Edge da Microsoft, em vez da Pesquisa do Google e do Chrome.

Os parceiros também precisam atender a determinadas condições de segurança e compatibilidade. Em troca, eles obtêm acesso a todos os aplicativos e infraestrutura do Google, tornando seus telefones muito mais atraentes para os clientes em todo o mundo do que seriam. Esse arranjo geralmente é gratuito, embora os fabricantes que vendem na UE paguem uma taxa.

De acordo com Bryan Pon, PhD, pesquisador de plataforma móvel e co-fundador da empresa de análise de dados Caribou Data , isso dá ao Google muito controle sobre sua plataforma. “Os consumidores estão ligados aos produtos e serviços do Google que estão no topo do sistema operacional”, explica Pon. “O Google tem um controle proprietário muito forte sobre eles e, nesse sentido, exerce um tremendo poder, independentemente do sistema operacional”.